Mãe que trabalha em casa e Sling saindo do forno!

Viva! As encomendas estão aumentando!

E por falar em mamãe que trabalha em casa, estão saindo do forno meus "Cangurus de malha". Vejam o vídeo com as maneiras de usar aqui. Gosto muito desse modelo que, por ser de malha, dá a sensação de que o bebê esteja mais seguro, grudadinho no meu corpo. Antes de postar o vídeo sobre o choro dos bebês, como estou com a máquina de costura a todo vapor, resolvi, escrever um pouco sobre os benefícios e história dos "slings" e encontrei texto num site de ortopedia.

"Para diminuir o peso que sobrecarrega a coluna, diferentes povos buscam soluções. Há milhares de anos, africanas, indianas, japonesas, chinesas e índias nativas da América do Norte prendem os bebês de diversas maneiras a seus corpos para transportá-los ou para mantê-los próximos durante a execução de trabalhos domésticos ou da lida na lavoura.

Outras soluções foram criadas para mamães – e mesmo papais –, mas muitas vezes inadequadas. Em recente viagem que fiz aos Estados Unidos, notei que existe uma forte tendência ao uso de babysling, uma faixa de tecido de cerca de dois metros de comprimento por um de largura, que se ajusta ao corpo do adulto. O acessório é unanimidade quando se fala em praticidade: além de deixar as mãos das mamães sempre livres, mantém os bebês pequenos confortavelmente deitados...

...O babysling não aumenta a curvatura da coluna vertebral do bebê e não acarreta vícios de posição. Pediatras e psicólogos ressaltam o benefício de se manter o bebê próximo ao corpo da mãe, dizendo que as crianças criadas assim choram menos. Eles atribuem ao “carregador de bebês” outras vantagens, como o fortalecimento do vínculo entre mãe e filho e a criação de bebês mais relaxados. Alguém pode falar que o babsling deixa a criança muito dependente. Eu não penso assim. Acho que os filhos precisam mesmo do contato com a mãe." Dr.Fabio Ravaglia

Posts Recentes